Projeto Erasmus+ “Treasure Hunt”

Projeto Erasmus+ “Treasure Hunt”

Foi aprovado mais um Projeto ERASMUS+ intitulado “Treasure Hunt” no âmbito da Ação Chave 2: Parcerias de Intercâmbio Escolar, que envolverá mobilidade de professores e alunos, em atividades de formação e partilha de conhecimentos.

A temática a trabalhar está relacionada com as questões sociais -igualdade de oportunidade de acesso e sucesso educativo- âmbito em que a escola poderá desempenhar um papel determinante na correção/minimização de assimetrias, assegurando a igualdade de acesso a atividades culturais, desportivas e criativas, assumindo o papel de promotora e dinamizadora de conhecimentos e habilidades que permitam aos alunos mais desfavorecidos, atingir níveis positivos de desempenho, maior mobilidade social e plena integração na vida em sociedade.

O projeto contempla parcerias que procuram promover uma educação de qualidade como forma de combater a discriminação e apoiar a inclusão social de estudantes desfavorecidos, através da internacionalização e introdução de valores europeus, promovendo, paralelamente, nos Docentes, habilidades e competências para o desempenho de uma verdadeira educação do séc XXI.

As principais atividades deste projeto são atividades de formação, baseadas em métodos educacionais modernos: aprendizagem baseada em tarefas – saber-fazer, aprendizagem ao ar livre, aprendizagem integrada (atividades lúdicas, pedagógicas) e outras, que promovam processos de socialização, nomeadamente: interdisciplinaridade, trabalho de pesquisa com recurso às TIC, teatro, música e outras competências, determinantes no desenvolvimento harmonioso dos alunos.

Ao longo dos dois anos de projeto, decorrerão reuniões nos diferentes países parceiros, onde se prepararão e avaliarão as diferentes atividades a desenvolver. A mobilidade de professores e alunos e a participação em eventos de formação nacional e transnacional, permitirão o contato direto, colaborativo e a troca de experiências pessoais, que proporcionarão aos estudantes e Docentes a possibilidade de descobrirem outros países e culturas, enriquecendo a sua experiência de estudo, aumentando a flexibilidade, a visão europeia, a competitividade e potenciando a inovação na Europa.

O organograma do projeto, aponta para uma estrutura formal, constituída por dois coordenadores e um grupo de docentes colaboradores que, de forma articulada, definem estratégias e procedimentos de operacionalização das propostas/metas elencadas no projeto. A escolha dos Docentes colaboradores, foi baseada em critérios explanados no próprio projeto, nomeadamente o envolvimento prévio na fase de conceção do projeto, a disponibilidade manifestada e o perfil desejável para a assunção das funções previstas. O grau de ensino e o público discente, foi outro dos critérios utilizados, na medida em que o projeto enuncia a participação direta e em mobilidade de alunos entre os 10 e 16 anos de idade. Para além deste grupo de Docentes que, de forma mais direta participam nas atividades, pressupõe-se a participação indireta de outros Professores que revelem interesse e disponibilidade em participar.

Relativamente à seleção dos alunos que irão integrar diretamente o grupo de mobilidade, para além de pertencerem à faixa etária anteriormente referida, deverão ser alunos a beneficiar de auxílios económicos, que revelem fluência e competências linguísticas no inglês, que manifestem um perfil consentâneo com o pretendido, nomeadamente: facilidade de interação, interesse pelas temáticas, responsabilidade, espírito de abertura a novas experiências, facilidade de integração, tolerância, respeito. Os resultados escolares, paralelamente ao seu empenho e envolvimento nas atividades académicas, serão outra variável determinante na seleção dos candidatos.

A primeira reunião transnacional decorrerá entre os dias 24 e 30 de novembro próximo e constituir-se-á como o primeiro momento de contacto entre coordenadores e diretores de escolas, para delinear e aferir estratégias, procedimentos e participarem na formação concebida pelo país de acolhimento. Esta primeira reunião também prevê a mobilidade de 2 alunos em atividades de formação. Para este ano letivo ficou apenas prevista uma reunião transnacional e os alunos a mobilizar, pela pertinência das atividades de formação e atendendo ao perfil de desempenho do curso em questão, serão os alunos da turma de 10ºano do Curso Profissional Apoio Psicossocial.

Fomentar a qualidade e a democratização do ensino, reforçar a dimensão europeia, incentivar a cooperação transnacional, nomeadamente através da promoção da mobilidade, tendo em vista a melhoria, a transferência e o reconhecimento académico de estudos e habilitações em toda a Europa, constituem as premissas básicas deste projeto.

Deixe um comentário